Resumo do Episódio 83 - Paixão

Ana Rita conta a Isabel que pode ser a filha que ela tanto procura.

Júlia leva Filipe até ao seu sítio preferido, na falésia. Filipe continua surpreendido com o convite de Júlia para sair. Até ao momento, Filipe achava que Júlia embirrava com ele. Curiosamente, ela pensava o mesmo dele.

Vasco confessa a São que precisa do apoio dela para lidar com o regresso da mãe. São leva-o para um quarto desocupado para fazerem uma pausa e conversarem. Vasco confessa-lhe que depois de Ofélia os abandonar, ele sonhava e desejava o regresso da mãe, mas agora só quer que Ofélia desapareça. São questiona se Ofélia não merecerá uma segunda oportunidade, mas ele não quer ouvir falar em perdoar a mãe.

Vasco olha para São com desejo e os dois acabam por se beijar. O ambiente entre eles aquece e começam a despir-se até que Jacinto os interrompe. Jacinto vinha fazer a manutenção do ar condicionado e fica incrédulo quando vê São com Vasco. Sente-se traído por São e pelo amigo. Jacinto agride Vasco. Está indignado com a atitude de quem ele considerava amigo, mas Vasco desculpa-se argumentando que São o estava apenas a consolar por causa do regresso de Ofélia.

Maria Paula está indignada com o murro que Zé deu a Miguel. Afirma que Miguel não se pode deixar afetar por Zé, muito menos em frente a Catarina. Filipe aconselha Miguel a processar Zé por ofensas corporais. Maria Paula fica entusiasmada com a ideia, mas Miguel não quer sujeitar Catarina a isso, uma vez que tal obrigaria a filha a ir a tribunal testemunhar. Filipe aconselha-o a, pelo menos, ir ao hospital registar as marcas da agressão, mas Miguel não acha necessário porque não vai processar Zé.

Luísa está indignada com Zé por ele ter exposto Catarina a uma cena deplorável com Miguel, mas Zé faz-se de sonso e de vítima, acusando Miguel de o ter provocado. Luísa acha que Miguel pode apresentar queixa, mas Zé alega que basta um pedido de Luísa para ele não o fazer. Ele sabe o efeito que ela exerce sobre ele. Luísa sente-se culpada por ter traído e humilhado Zé.

Bé está irritada com a cena que Isabel fez em frente dos jornalistas durante a apresentação do livro. Tiago repreende a atitude critica de Bé em relação à mãe, mas esta está cansada dos dramas de Isabel. Tiago acha que Bé lhe deve dar o desconto por ela ter perdido uma filha, mas Bé relembra que ela também perdeu uma irmã. Bé aconselha Tiago a procurar Vera, ele não pode voltar a abandonar a irmã. Tiago fica tenso quando Bé lhe revela que contou a Luísa sobre a tentativa de suborno de Tomás. Ele tem receio de represálias se este assunto se souber, mas Bé garante que Luísa não contará a ninguém.

Miguel está no trilho de trekking com 4 caminhantes, mas há 2 participantes que estão perdidos. Miguel pede ajuda a Helena para trazer os caminhantes até junto dele.

Luísa visita Isabel que lhe assegura que o sinal de Ana Rita é exatamente igual ao de Sofia. Luísa acha que a tia quer tanto acreditar que Sofia está viva que imagina coisas… Isabel está cansada que duvidem sempre dela. Luísa e Isabel estão de acordo no que diz respeito à morte de Alexandre.

Nenhuma delas acredita que Leonor tenha morto o marido por ele ter uma amante. Isabel deixa escapar que Leonor tinha uma dívida de gratidão para com o marido, acabando por revelar que Tomás não é filho de Alexandre. Luísa fica em estado de choque com esta informação. Isabel conta que o irmão descobriu a verdade quando Tomás tinha dois anos, mas que sempre o tratou como um filho. Isabel pede a Luísa para não contar a verdade a Tomás.

No centro de acolhimento continuam sem saber de Ana Rita, que não apareceu para trabalhar e não avisou. Bárbara estranha o comportamento da jovem.

Helena leva os dois caminhantes até ao trilho onde Miguel e demais participantes aguardam. Enquanto conduz, Nuno liga-lhe de forma insistente, mas Helena não atende e limita-se a rejeitar as chamadas. Helena não percebe que Nuno a segue e a observa ao longe.

Luísa fica a saber que o jornalista Gonçalo Sousa fez uma reportagem sobre a morte de Alexandre e marca reunião com ele. Quer falar com o jornalista antes da reportagem sair.

Castro conta a Zé que Nuno lhe garantiu que saía do país em dois dias. Zé agradece a Castro por este ter tratado do assunto.

Tomás procura Zé e mostra-lhe que conseguiu que o psiquiatra Alberto Casais fizesse um relatório sobre Leonor Marreiros em troco do perdão da dívida de jogo que ele tinha. No relatório, está escrito que tinha sido diagnosticada a Leonor uma “depressão crónica e transtorno bipolar”. Na opinião de Zé, aquilo é insuficiente, nenhum juiz vai impugnar um testamento com base naquele relatório e que a única maneira é desacreditarem o advogado Dr. Manuel Antunes, acusando-o de falsificar o testamento e de ter feito a alteração a favor de Miguel sem o consentimento de Leonor. Zé e Tomás engendram um plano para desacreditar Dr. Manuel Antunes e culpar Miguel.

Nuno segue Helena, que conduz a caminho de casa. Helena apercebe-se que está a ser seguida e entra em pânico. Nuno faz com que Helena saia da estrada. Depois, tira-a para fora do carro e agride-a com violência. A muito custo, Helena consegue tirar da mala a arma mas, Nuno esbofeteai-a, fazendo-a perder a arma, mas ela não desiste e consegue alcançar de novo a arma. Helena dispara contra Nuno e ele cai inanimado no chão. Helena foge do local do crime, apavorada, levando consigo a arma.

Maria Paula procura Zé para lhe dizer que não é justo ele afastar Catarina de Miguel, mas Zé alega que criou Catarina, como uma filha, desde que ela nasceu e que ele sabe o que é melhor para ela. Maria Paula garante que não vai deixar Zé afastar Catarina do verdadeiro pai.

Bé não encontra Isabel em casa e Carla, a empregada, revela que a patroa saiu de carro. Ficam todos preocupados. Isabel está medicada e não devia conduzir. Não imaginam que Isabel foi ao centro de acolhimento à procura de Ana Rita. Bárbara diz-lhe que não sabe de Ana Rita, mas esta surge e aceita falar com Isabel. É o momento da grande revelação. Ana Rita conta que pode ser a filha que Isabel procura… Ana Rita explica que a sua alegada mãe, pouco antes de morrer, lhe contou que a tinha raptado… Ana Rita não se lembra da vida antes dos 6 anos, altura em que foi levada. Conta ainda que assim que soube que pertencia a uma família de Loulé veio à procura dos verdadeiros pais. Explica ainda que foi através de Afonso que soube que podia ser filha de Isabel. Momento de grande emoção para Ana Rita e para Isabel, que quer levar a filha para casa. Mas Ana Rita precisa de tempo para assimilar tudo. Isabel respeita a vontade de Ana Rita e garante que nunca mais a perde de vista.


Comentários